Como Eu Vejo o Mundo?!

As pessoas tentam entender como eu vejo o mundo, porque o papai me disse que sou diferente. Não que eu tenha alguma coisa a mais ou a menos que os outros, ele apenas acha que eu nasci por algum motivo especial e ele faz questão de me dizer isso todos os dias, não sei se ele tem medo que eu esqueça disso ou se simplesmente ele gosta de repetir essas palavras para mim, não importa muito o porque, mas fico feliz que ele acredite que eu seja diferente, embora até mesmo o papai queira realmente compreender como eu vejo o mundo.

~~~*~~~

Eu vou explicar para vocês como eu vejo o mundo, eu já expliquei isso para o papai várias vezes também, mas ele insiste em não entender o que eu falo. As vezes dá a impressão que estou falando grego com ele. Eu já tentei mudar a forma como me expresso, falar mais pausadamente, trocar o que digo por palavras sinônimas e por incrível que pareça eu já tentei até soletrar, mas não adianta nada, papai nunca entende o que eu falo.

A primeira coisa que vocês precisam entender é que eu sou adotado. Papai me adotou quando eu tinha apenas quatro meses de vida e sei que tem sido difícil pra ele cuidar de mim, porque eu não tenho mamãe, somos apenas eu e ele. É claro que eu sinto a falta de uma mamãe, qualquer um na minha idade sentiria, mas o meu papai é o melhor do mundo e ele tenta o tempo todo recompensar a ausência de uma mamãe, embora eu acredite que as coisas estão começando a mudar nesse sentido, não que o papai vai deixar de compensar a ausência de uma mamãe, mas parece que ele está se apaixonando por uma moça que conhecemos outro dia e advinha quem foi o pivô disso tudo? Acertou, eu! Ela me achou lindo e aí você já viu né, rs.

O papai é meio confuso as vezes e ele faz coisas que honestamente eu não entendo, eu não sei porque ele insiste de colocar um terninho em mim todas as vezes que saímos, ele diz que eu fico lindo assim, honestamente eu não gosto muito, mas posso te contar um segredo? O papai só faz isso pra chamar atenção das mulheres. É sério, ele me usa como isca, pra falar a verdade, pensando bem agora, até que o papai é esperto porque as mulheres passam, olham pra mim de terninho com gravata borboleta e se apaixonam, algumas até pedem para o papai para pegarem em mim e em pouco tempo o papai já está conversando com a moça, foi mais ou menos assim um dia desse.

Eu gosto muito quando é sábado, é o dia que o papai mais tem tempo pra mim. Durante a semana ele trabalha muito e chega em casa cansado, mas nem por isso ele deixa de brincar comigo e me dá atenção, aos domingos geralmente vamos na casa do vovô e da vovó, lá eu vejo meus tios e primos, então como fico brincando com eles e o papai fica conversando com o vovô, a vovó e meus tios, quase não temos tempo pra ficarmos juntos. Mas no sábado não, o sábado é só nosso, a gente apronta muito juntos. Vamos ao parque, andamos de bicicleta, eu ajudo o papai a lavar o carro, jogamos vídeo game, ouvimos algumas músicas, assistimos desenho, filmes, ajudo o papai a fazer comida e lavar louça, tiramos uma soneca, tomamos sorvete ou açaí, enfim… Eu amo os sábados, porque mesmo que a gente ficassem em casa só dormindo, é o único dia que tenho o papai só pra mim.

O papai nunca me bateu. As vezes vejo um amigo ou coleguinha comentando que o papai e a mamãe deles batem neles, meu papai nunca me bateu, mas já brigou comigo várias vezes e as vezes quando ele briga comigo me corta o coração. O papai as vezes esquece que eu sou quase um bebê e que as vezes faço as coisas sem querer, mas eu não o culpo, ele é pai de primeira viagem, está aprendendo a ser pai comigo. Eu fico feliz de nunca ter apanhado, mas fico triste com as broncas do papai.

Bom… Voltando ao assunto, como eu vejo o mundo?! Eu vejo o mundo como um lugar cheio de oportunidades, vejo o mundo como um lugar onde é possível sim ser feliz, basta você querer. Algumas pessoas passam uma vida inteira tristes e solitárias, mas as vezes elas não se permitem serem felizes, elas ficam tão concentradas em seus problemas que esquecem de levantar a cabeça e enxergar por exemplo o bater de asas de uma borboleta ou o sorriso de uma criança. Me diga se essas coisas não são lindas? Tem algo mais puro e verdadeiro do que ver um bebezinho sorrir? Ou há algo mais belo de se escutar do que o canto de um passarinho? Se você levantar a cabeça, fechar os teus olhos e ficar em silêncio por alguns minutos, vai poder ouvir e perceber as mais belas sinfonias que o mundo toca a todo momento.

É assim que eu vejo o mundo, papai acha que sou especial, porque outro dia eu salvei uma moça que estava se afogando no parque. Mas sabe o que eu percebi naquele mesmo dia, que todos nós somos especiais e que ninguém é mais do que ninguém. Os cientistas dizem que eu vejo o mundo preto e branco, mas eles estão errados, eu vejo o mundo colorido, bem colorido, como um grande arco-íris. Eu vejo as cores do sol, da terra, dos pássaros, das flores, eu vejo cores no céu, na água e até no ar, vejo cores nas roupas, nos objetos e até no amor, eu vejo cores em todos os lugares.

Não me sinto especial por ter salvo aquela moça de se afogar, me sinto especial por estar vivo, me sinto especial por ser amado, me sinto especial por ter o melhor pai do mundo, me sinto especial por ter uma família que me ama e me sinto especial por ter você que está lendo essa mensagem. Espero que quando terminar de ler essa postagem, você assim como o meu papai, corra para abraçar e beijar o seu bichinho, quer ele seja um cachorrinho como eu, ou um gatinho, passarinho, peixinho (não, não abraça e beija o peixinho não), não importa, só demonstre o amor por eles, porque é assim que nós enxergamos o mundo, totalmente colorido pelo amor de nossos donos que temos como verdadeiros papais.

Quer saber quem sou eu? Bom, eu me chamo Teddy, tenho dois anos e quatro meses, peso trinta quilos e sou um lindo Labrador caramelado. Pelo menos é assim que papai me descreve. Você pode saber mais sobre mim, sobre o meu papai e sobre a minha futura mamãe, basta “Clicar Aqui” e ver que eu já aprontei muito numa outra história. Agora eu tenho que me despedir, o papai não gosta muito quando eu pego o notebook dele emprestado, mas… Em breve eu volto”

Beijos,
Teddy!

Gostou do conto? Que tal deixar um comentário!