O Mistério da Rua 15 - Frank S. C. Writer

  O Mistério da Rua 15   Era noite e as primeiras estrelas pontilhavam o céu, um frio estarrecedor desencorajava quem quisesse sair de casa, tudo estava deserto, parece que nem os gatos e cachorros de rua aventuravam-se em buscar a sua refeição noturna, tudo estava em completo silêncio, um silêncio raro, único e sombrio. Mas como num passe de mágica ele apareceu, apitando aos quatro cantos da terra e seu barulho fazia tremer o chão. Imediatamente luzes foram acendendo-se nos mais variados pontos da Continue lendo

Cavalo Negro - Frank S. C. Writer

– Pronto pra perder mais uma vez? – Esse ano será diferente! – Porque está tão confiante, sua família já perde… Deixa eu ver… Cinco? Não, não… Dez? Ah sim, me lembrei… Sua família já perde nas finais para mim há quinze anos, é muito tempo… Você não acha Tony? – Hoje será diferente, estou confiante em meu Cavalo Negro. Eu aprendi alguns truques novos, garanto que esse ano o seu cavalo vai comer poeira. – Veremos…   Tony era um pequeno agricultor do município de cafelândia no Continue lendo

O Amor Criptografado - Franklin Sousa

CLIQUE PARA LER A PARTE I   O Amor Criptografado 02   – Consegui desvendar que língua era essa da carta. – Ah sim, você quase me matou de susto! E então, o que essa carta diz? – Ela diz: “Querida Natália, sei que está se divertindo muito com nossa brincadeira, um amor criptografado. Reparou que está ficando cada vez mais difícil desvendar os meus mistérios? Mas eu só faço isso porque sei que você é inteligente o bastante para descobrir tudo. E sei também Continue lendo

Agente 19 - Franklin Sousa - O Escritor

A Morte do Presidente   – Precisamos sair, o local todo vai explodir! – É tarde para mim, salve sua vida! – Não vou a nenhum lugar sem você… Pip…pip…pip…   Brasília – DF 48 Horas antes…   – Você não deveria estar pronto, é seu grande dia. – Mas eu estou pronto! – Nem pensar, você não vai me acompanhar vestidos nesses trapos. – Nós estamos indo para a morte do presidente e não numa festa de gala Beatriz. – Sim, e por isso mesmo não Continue lendo

Horizontes Verticais - Frank S. C. Writer

Horizontes Verticais   Todas as noites após o serviço, ele caminhava em direção à janela da sala segurando uma xícara de chocolate quente, enquanto repousava a xícara sobre o batente da janela, sua mente começava a divagar sobre a vida, sobre o amor, sobre a jornada que enfrentara até ali e é claro, sobre ela. Ele tomava um bom gole de chocolate quente e ficava recordando daquele sorriso singelo, de como ele apreciava os lábios dela se mexendo enquanto ela sorria alegremente para ele. O Continue lendo

Será  a primeira vez desde quando comecei a escrever no meu blog que postarei um conteúdo de outro autor, mas esse merece esse espaço. Na minha descrição do site eu coloquei que sou amante de cachorros, e realmente são os animais que mais amo. Cachorros são companheiros, fieis, amigos, enfim… Eles já nascem sabendo amar de uma forma incondicional, por isso eu amei tanto esse texto, porque fala do melhor amigo do homem. Um belíssimo trabalho feito pelo meu amigo blogueiro Lunewalker, do blog Diário Continue lendo

Somente o Tempo - Franklin Sousa

Esse conto é inspirado numa linda jovem que conheci, mas ela não mora aqui, mora num lugar distante do outro lado do oceano. Eu não escutei sua voz, mas tenho impressão que ela tem uma daquelas vozes doces que nos dá vontade de escutar o dia inteiro sem parar. Mas, eu vi seu sorriso, eu vi duas fases do seu sorriso, uma de agora e outra de dois anos e seis meses antes de conhecê-la, que é por onde nossa história começa…   Portugal, 20 de Continue lendo

O Amor Criptografado - Franklin Sousa

PARTE I   – O que está fazendo? – Estou tentando desvendar o mistério dessa língua. – Ah é… E porque você não vem desvendar o mistério da minha língua? – Sai pra lá Rafael, sua língua já não é nenhum mistério para mim. Além disso, preciso me concentrar. – Bom, pelo menos eu tentei. Você quer ajuda? – Você? Me ajudando? Você mal sabe ler na nossa língua. Eu já te disse, nossa relação é músculo e cérebro e você é o músculo. – Continue lendo

O Menino Emanuel - Franklin Sousa O Escritor

– O que está lendo meu filho? – Aquela história de como vocês escolheram meu nome. – É uma boa história, quer que a mamãe leia pra você? – Dessa vez não mamãe, eu quero ler sozinho. – Tudo bem meu coração, eu estou bem ali na cozinha se precisar. – Tudo bem mamãe, e obrigado!   Maria beijou seu rosto e saiu. O menino Emanuel era uma doce criança, em seus olhos era possível perceber a mais tenra pureza, em seus lábios sempre existia Continue lendo

Final Alternativo - Franklin sousa O Escritor

– Afaste-se, eu vou pular! Disse uma voz feminina trêmula e medrosa. Ela tinha treze ou quinze, não mais do que isso. Cabelos curtos um pouco acima dos ombros, a pele de tão branca chegava a mostrar as veias de seu corpo, estava magra, muito magra, como se não comesse a dias; Mesmo estando vestido de uma blusa de frio era possível ver o desenho de suas costelas, seus braços estavam pingando sangue, ela já tinha tentado um método diferente antes, mas o insucesso a Continue lendo

Olhos de Mel... - Autor: Franklin Sousa

OLHOS DE MEL, OLHOS DE MEL… Seu olhar ilumina minha vida, sua beleza chega ao céu… Esse tom de moreno jambo… Faz minha mente vagar ao léu. OLHOS DE MEL, OLHOS DE MEL… Doce sabor do pecado… Magia é o beijo teu! Estou deveras apaixonado… Por esse alegre sorriso seu! OLHOS DE MEL, OLHOS DE MEL… Tu sabes que eu sinto agora… Um amor fora de moda, Que clama toda hora… Para que venhas sem demora. OLHOS DE MEL, OLHOS DE MEL… Se apenas atentares, Continue lendo

Um Instante

Agosto de 2015   Enquanto ele caminha pelos corredores daquele hospital consegue sentir uma mistura de aromas de remédios, alguns já bem conhecidos. Todos naquele ambiente, do porteiro até o diretor sabem da sua angústia, por isso sempre que um funcionário o encontra no corredor abre um largo sorriso como se de alguma forma tentasse amenizar aquela dor, muitas vezes em vão, pois os únicos sorrisos que ele realmente gostaria de ter já não são dados há muito tempo. Rafael nunca gostara de ir ao Continue lendo

Se você não viu a primeira parte desse conto “CLIQUE AQUI” para acompanhar. ————-//————– Quando acordou ela reparou que tinha parado de chover. O sol ainda estava nascendo e totalmente tímido, o dia estava começando a clarear e era possível ver pequenos e humildes feixes de luz que adentravam pela janela entreaberta do quarto de Miguel. Ela tateou na cama na esperança de encontrar suas roupas mas logo percebeu que não estavam ali e o pior, ela estava nua, completamente nua. Embora tenha estado tantas Continue lendo